Seis startups são as primeiras a se beneficiarem com o primeiro hub de inovação em saúde de Londrina. O Conecta Iscal, no centro da cidade, foi inaugurado em meados de maio, numa iniciativa pioneira da ISCAL (Irmandade da Santa Casa de Londrina), através do seu IEPI (Instituto de Ensino Pesquisa e Inovação). O espaço, que já está em plena atividade, é destinado a reunir agentes de fomento de TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação) e profissionais de saúde para fomentar e ou criar soluções voltadas para a melhoria dos serviços de saúde. O Conecta também vai abrigar parte das atividades dos 12 programas de residências médica e multiprofissional da Iscal.

As startups selecionadas integram o primeiro ciclo de aceleração e pré-aceleração, desenvolvido em parceria entre o IEPI-Iscal e o Sebrae-PR. O trabalho será em ambiente colaborativo e segue até o final do ano. Ao final, os desenvolvedores devem lançar protótipos de produtos e serviços desenvolvidos durante o programa. São quatro projetos em aceleração e dois em pré-aceleração. As startups em aceleração receberão aporte financeiro de até R$ 20 mil para investimento no projeto. R$ 10 mil serão em dinheiro do IEPI Iscal e outros R$ 10 mil em serviços do Sebraetec.

Segundo a gerente do IEPI-Iscal, Karen Barros Parron Fernandes, a intenção é que a própria Iscal absorva as soluções inovadoras, além de levar para o mercado de saúde. “Buscamos ideias e propostas que sejam aderentes à área hospitalar, para trazer inovações ao mercado de saúde”, ressalta. “A ideia é integrar nossa equipe de funcionários, médicos e residentes ao meio externo, para atender as necessidades do paciente, dando mais qualidade e conforto”, afirma o superintendente da Iscal, Fahd Haddad. Para o gerente regional do Sebrae, Fabrício Bianchi, o objetivo do Conecta Iscal é “salvar vidas”, integrando a tecnologia, a inteligência artificial e a realidade da saúde. “Para que os profissionais da saúde tenham condições de performar com mais qualidade e assertividade”, destaca.
As equipes de startups com Karen Parron.

Os projetos das startups – Um dos projetos mais adiantados no Conecta é o Einfach que desenvolve uma técnica para otimizar a produção de próteses e órteses, com mais conforto para o paciente. A ideia, segundo o criador e desenvolvedor da equipe, Carlos Felipe Cordeiro, é trocar o molde das ataduras gessadas por espumas de poliuretano – mais barato e que reduz o tempo de moldagem de 40 minutos para 15 segundos. “Além do menor preço, vai causar menos riscos de cortes e desconforto para crianças e adultos”, defende.

O Einfach é um dos quatro projetos em aceleração. Outro é o Check Life que propõe o uso de GPS e mapas para otimizar o transporte de pacientes pelo Siate e Samu aos hospitais. Já o Health Code propõe o uso de uma pulseira com dispositivo para monitoramento ambulatorial da pressão arterial, com atualização em tempo real. Também em aceleração, o Kuruvi Soluções Tecnológicas trabalha no desenvolvimento do Echo Virtua – laboratórios virtuais interativos que prometem aumentar a efetividade de aulas e treinamentos práticos.

Duas startups estão na fase das ideias e, portanto, em processo de pré-aceleração. Uma delas é o You Mind – uma plataforma que reúne informações e ajuda multiprofissional de psicólogos, neurologistas, psiquiatras, assistentes sociais e mentores para ensinar a alcançar mais qualidade de vida. O outro é o Preveni que trabalha na criação de um dispositivo para prevenção de LP (lesão por pressão), avisando a equipe do hospital sobre o horário da mudança de decúbito dos pacientes com risco.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *