A rede Rede Nacional de Produtividade e Inovação chega ao Sul do Brasil por meio de um núcleo em Londrina e com um olhar para a saúde

Londrina se tornará sede do primeiro núcleo paranaense da Rede Nacional de Produtividade e Inovação (Renapi). O lançamento está marcado para o dia 19 de outubro, conforme divulgado pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).  A Renapi de Londrina será a quarta a ser instalada no Brasil e seu foco estará voltado para Tecnologia da Informação e Saúde, com construção de um complexo industrial do setor, com hospitais e laboratórios inteligentes.

A rede é uma iniciativa da ABDI para apoiar estados, municípios e aglomerações produtivas em ações voltadas ao desenvolvimento da indústria local. Recife, em Pernambuco, e Cacoal, em Rondônia, já contam com núcleos instalados e trabalham nos planos de trabalho de setores específicos, apontados como prioritários. Assim como Sorriso, no Mato Grosso, que lançou em agosto uma unidade com foco na agregação de valor das cadeias agroindustriais, visando ao fortalecimento da competitividade do setor na região.

De acordo com o presidente da ABDI, Guto Ferreira, a unidade de Londrina vem para contribuir com o desenvolvimento de novas tecnologias para a saúde, agregando também outras áreas. “A ABDI está ampliando a Rede Nacional de Produtividade e Inovação com o lançamento de uma unidade em Londrina. A Renapi terá como foco principal no Paraná desenvolver novas tecnologias para a área da saúde, trabalhando internet das coisas, cidades inteligentes e indústria 4.0. Estamos criando uma rede cooperativa e ágil para a implementação de projetos e geração de inteligência competitiva”.

A articulação para a vinda da Renapi à Londrina contou com o apoio de várias entidades, entre elas  APL de TI de Londrina e Região, Codel – Instituto de Desenvolvimento de Londrina, SALUS – Saúde Londrina União Setorial e SEBRAE/PR.

Polo de Saúde

Londrina é considerada um polo do setor da saúde por agregar serviços, comércios e indústrias nas mais diferentes áreas e especialidades. Além disso, a cidade possui um alto nível de pesquisas acadêmicas na área, assim como o desenvolvimento de inovações e tecnologias específicas para a saúde. A transversalidade do setor também chama a atenção, uma vez que empresas de setores como metal mecânico, móveis, químico, Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), inovação e serviços vêm cada vez mais se especializando para atender a área da saúde.

Para Simone Shavarski, consultora do Sebrae-PR, a vinda da Renapi para Londrina representa um marco importante para o setor da saúde. “Londrina é um centro de inovação e o setor da saúde está ávido por novas tecnologias e inovações. A Renapi vem a somar com as iniciativas que já são realizadas na cidade e com as novas frentes que estão surgindo com foco na inovação em saúde, como a proposta de hospitais e laboratórios inteligentes”, comenta.

O presidente do SALUS, João Claudio Santilli, acredita que a Renapi será um diferencial para a cidade. “Vamos fazer parte desta rede trocando tecnologias, informações, conhecimentos e especialidades com os outros laboratórios da ABDI. Poderemos converter todo conhecimento em produtos e inovações para a saúde em um breve espaço de tempo. Quem ganha é Londrina, a população e as áreas da saúde, tecnologia e inovação, evidenciando a cidade como referência”, conclui.

Para o presidente do APL de TI, Roberto Nishimura, a presença da ABDI na cidade irá contribuir para o desenvolvimento local. “A ABDI pode ser a ponte entre as empresas regionais que desenvolvem novos produtos e órgãos como por exemplo o Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) para a aferição, homologação e certificação. A instalação de um “Fablab” também pode acelerar a criação de um produto novo pelas empresas locais, sem a necessidade de se deslocar para os grandes centros (São Paulo, Campinas, Rio de Janeiro)”, comenta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *